Borboleta noturna

Proserpinus proserpina

(Pallas, 1772)

Insecta – Lepidoptera (anexo II)

Distribuição
Dispersa pelo Norte de África, Europa e Ásia. Em Espanha está presente nos Pirenéus, sistema central e ibérico, com registos esporádicos em várias províncias. Em Portugal, há registos dispersos pelas várias províncias do norte e centro do país, assim como Algarve e Alentejo.

Habitat
A espécie ocorre em vários biótopos, preferindo meios solarengos, mas húmidos, como vales, margens de bosques, clareiras de florestas, frequentemente junto a cursos de água ou outras zonas húmidas com vegetação. É referida como uma espécie localizada, muitas vezes desaparecendo de uma localidade por vários anos, mas aparecendo em outra. 

Biologia
As fêmeas fazem as posturas de um ou mais ovos de cor verde brilhante na face inferior das folhas das plantas hospedeiras, junto das suas flores. As plantas hospedeiras preferidas são do género Epilobium, mas também surgem referências à utilização de Oenotheraspp e Lythrum salicariacomo alimento das lagartas. Nos primeiros instares a lagarta tem uma coloração verde, mudando depois para castanho e com grandes ocelos muito típicos. A lagarta no último instar deixa-se cair ao solo onde constrói um buraco para desenvolver a pupa. Tanto os machos como as fêmeas voam de noite, mas também de dia. São atraídos pela luz artificial. Os adultos voam de março a maio, enquanto que as lagartas podem ser vistas de maio a setembro.

Estatuto de conservação
Em Espanha foi avaliada como Pouco Preocupante (LC).

Projeto Lista Vermelha de Invertebrados
FCiências.ID – Associação para a Investigação e Desenvolvimento de Ciências
Campo Grande, edifício C1, 3.º piso, 1749-016 Lisboa, Portugal
Email: lv.invertebrados@gmail.com

Print